Oeiras, o Sertão Colônial

Para a historiadora Joelza Domingues, especializada em cultura grega, falar da beleza é discorrer sobre padrões estéticos que são sempre culturais e mudam ao longo do tempo e conforme as sociedades. “O termo grego mais próximo para beleza ou belo é Kalón: significa aquilo que agrada, que suscita admiração, que atrai o olhar”, explica a pesquisadora da PUC-SP.

Com essa ideia na cabeça, partimos pelo Piauí afora em busca das paisagens mais representativas do estado, sempre na procura do belo, buscando o desconhecido, insistindo no inusitado, mas sobretudo navegando pelas almas humanas que fazem desse mundo um lugar mais bonito.

Nessa segunda edição da série especial em homenagem ao Dia do Piauí, chegamos na colonial cidade de Oeiras, coração religioso, histórico, político, cultural e geográfico do estado e a sua primeira capital. A estonteante modelo Tatielly Castro mergulhou no passado e, através das imagens produzidas nesse ensaio (págs. 4 e 5), o leitor do Jornal Meio Norte poderá desfrutar das maravilhas desse pedacinho do Piauí, onde a nossa história começa como piauiense.

OEIRAS, O SERTÃO COLONIAL

Lembro bem da primeira vez que adentrei ao centro histórico da pequenina Oeiras. Chovia forte na cidade e a singularidade do seu conjunto arquitetônico me impressionou ainda mais. Por trás do vidro embaçado do carro pude vislumbrar uma joia colonial em pleno sertão do Piauí. Por segundos me transportei para as ruelas de antigas cidades europeias.

Foi um caso de amor a primeira vista. Voltei em inúmeras oportunidades, quase sempre com o céu azul e a temperatura beirando os 40 graus. Registei a lua cheia iluminando a cidade totalmente escura para receber a procissão do fogaréu, formada apenas por homens, e essas imagens ganharam o mundo através da revista Discovery Magazine.

Volto agora, anos depois do meu último trabalho na região, com uma proposta totalmente fora da minha zona de conforto. Sempre fui fotógrafo especializado em meio ambiente e natureza selvagem, com alguns passos na área cultural e investigativa, mas nunca me aventurei a documentar a beleza humana, principalmente as feições, formas, texturas, olhares, sensualidades e personalidades femininas.

Ao invés de palavras, prefiro apresentar o resultado plástico e imagético através do registro fotográfico da luz e suas nuances pelo passado colonial do Piauí moldadas pela singela beleza da modelo Tatielly Castro.

Abrimos e iluminamos casarões centenários, percorremos prédios históricos, igrejas, museus, mercados, vielas, pontes e até o único monumento militar desse período ainda existente, uma edificação do século XIX, a Casa da Pólvora – tudo isso para que o charme, a sensualidade e o mistério da beleza feminina nos guie por esse roteiro encantador.









Oeiras, Sertão Colonial
Crédito: André Pessoa
MAKING OF – OEIRAS: O SERTÃO COLONIAL
DIREÇÃO: André Pessoa

MODELO: Tatielly Castro

MODELOS CONVIDADAS: Tamires Aragão, Vanessa Oliveira e Milena Faustina

CRIANÇAS CONVIDADAS: Josilene, Amanda e Vanessa

PRODUÇÃO: Carlos Rubem, Patrícia e Socorro Macêdo

FIGURINOS: Gabriela Reis, Teresa e Zelinda Oliveira

ASSISTENTE: Luiza Castro Rosário

ASSISTENTE DE FOTOGRAFIA: Carlos Rubem

MAKING OF: Carlos Rubem

MAKE-UP: Jhordan Smith

APOIO: Governo do Piauí

PRODUÇÃO EXECUTIVA: Carol Durães

DIREÇÃO DE JORNALISMO: José Osmando

About Geciano Vieira