Agiota matou e queimou irmã por causa de dinheiro


Conforme a polícia investigou até o momento, Verônica, mais conhecida como Mel, e a irmã, Elissandra, conhecida como Naninha, trabalhavam com agiotagem e estavam com dívidas. No momento da prisão de Naninha e do marido, Everton, que aconteceu em Penedo nesta segunda-feira (15/11), ambos confessaram o crime. Informação do Portal Nacontramao Piaui

“A informação é que elas lidavam com agiotagem e que a Mel estava gastando demais. Por isso, ocorre de uma resolver matar a outra. Naninha disse que tinha medo da irmã, por acreditar que ela iria matar primeiro. Não temos provas ainda. As investigações ainda estão em curso, e essa é apenas uma versão dos fatos”, disse a delegada Jéssica Garcia.

Circunstâncias do Crime

De acordo com a Polícia Civil, Verônica faleceu dentro do táxi utilizado pela irmã e o cunhado no dia do crime. O taxista, identificado pelo prenome Marcelo, é o terceiro investigado. Segundo a delegada Jéssica Garcia, conforme apurado em oitivas de testemunhas e mensagens de WhatsApp, um encontro entre as irmãs estava marcado para acontecer no município de Itabaiana, no entanto, a rota foi alterada de última hora para o povoado em Areia Branca, onde o corpo foi desovado.

“Tive como informação uma conversa de WhatsApp trocada com a Mel e uma terceira pessoa, onde ela informa que está com medo do encontro com a irmã, mas que mesmo assim opta por ir. Ela estaria num veículo táxi, com a irmã e o cunhado, que teria levado Mel no sentido povoado Mangabeira, em Itabaiana. No entanto, o crime acontece dentro do táxi, com a vítima sendo esfaqueada com um canivete”, detalha a delegada.

Ao jogarem o corpo em uma região de matagal do povoado Cafuz, em Areia Branca, os suspeitos atearam fogo. “Eles se utilizaram disso para esconder qualquer prova do crime. A Polícia Civil ainda está aguardando o laudo do IML, mas inicialmente é possível verificar que a carbonização aconteceu na base do tronco”, diz a delegada.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.