INSCREVA-SE NO CANAL PARA NOVOS VÍDEOS

MUNICÍPIOS

[CIDADES][bleft]

AÇÃO POLICIAL

[POLICIAL][bsummary]

ACIDENTES

[ACIDENTES][twocolumns]

POLÍTICA

[POLÍTICA][bleft]

CATEGORIAS

[CATEGORIAS][bsummary]

Casal com nove filhos precisa de uma casa e ajuda para alimentação do Piauí


Uma mãe que tem o Bolsa Família como única fonte de renda para o sustento dos nove filhos e que vive com o marido desempregado e as crianças num único cômodo protegido apenas por uma lona de plástico. É nessa condição que vive Luana Almeida Silva, de 38 anos, moradora do bairro Escalvado, em Amarante. As informações são do Somos Notícia.


Dos nove filhos, Genilson Gabriel, de oito meses de idade, é o mais novo e depende unicamente do leite materno para se alimentar, mas falta o alimento para os demais, e quando tem o que comer, nem sempre é o suficiente para todos. “Eu prefiro ficar sem comer para não ver meus filhos com fome”, disse Luana.

O marido, Genilson Fernandes da Silva, de 41 anos, ajuda em um estabelecimento comercial de Amarante, o que, às vezes, lhe garante um ganho entre R$ 10 e R$ 25 por dia. “O que eu ganho dá só para comprar um pouco de feijão, arroz, café e açúcar, e trago para casa”, disse ele lamentando os efeitos da pandemia. “Eu trabalho na diária, mas com essa pandemia, só fico até meio-dia no serviço e não tem como conseguir mais que isso”.

Alguns dos filhos do casal, na tentativa de ajudar em casa, vão a uma padaria próxima pedir pão, mas nem sempre têm a garantia do café, todos os dias. “Eles vão se humilhar pedindo pão”, completou a mãe.

Luana Almeida tem recebido ajuda da Assistência Social do município com cestas básicas, mas a necessidade fala mais alto. “A gente sabe que quando o dia termina, a noite ao dormir a gente já fica pensando como vai ser no dia seguinte, esperando somente a ajuda de Deus”, finalizou.

Além da necessidade de um trabalho para garantir o sustento dos filhos, Luana e o marido precisam de uma casa. Um pequeno espaço que acomoda as 11 pessoas da família, possui uma lona de plástico em volta de uma armação de madeira e talos. O teto é também coberto com lona.

Um parente, conhecido como Josimar, disse ao Somos Notícia que a situação em dia de chuva é muito delicada. “Na última chuva com vento, tivemos que subir na armação e ficar em cima do plástico para não ver o vento levar tudo”, explicou.

Luana tem uma conta na Caixa Econômica. Para receber ajuda, ela pede que o valor que puderem doar seja depositado.

DADOS DA CONTA
– Agência: 1607
– Conta: 00008180-0
– Operação 023 (Conta de Poupança)
– Titular: Luana Almeida Silva.

Telefone para contato: 86 99956-7112 (Maria da Cruz)
    Foto: Leomar Duarte | Somos Notícia
    Foto: Leomar Duarte | Somos Notícia

Nenhum comentário: