Piauí definirá protocolo de atendimento em casos suspeitos de coronavírus

Autoridades em saúde pública do Piauí se reúnem nesta terça-feira (28) para estabelecer protocolo de ação contra o novo Coronavírus. O vírus causador da síndrome respiratória aguda já matou mais de 80 pessoas na China e alguns casos já foram confirmados em outros países.

O objetivo da reunião, que será coordenada pela Secretaria de Estado da Saúde, é esclarecer as instruções de cuidados diante de casos suspeitos e confirmados da doença, além de montar uma força-tarefa para evitar que o vírus chegue ao Estado.

“Tanto o Ministério da Saúde, quanto a Sesapi reconhecem que há uma emergência em razão de uma doença respiratória grave causa pelo novo Coronavírus. Não é uma posição que nos remeta a uma situação de preocupação extrema, mas é uma situação que impõe que todas autoridades em saúde pública fiquem em alerta”, disse o secretário de Saúde, Florentino Neto.

O secretário ressalta que o Piauí tem relações comerciais com a China e com outros países que registraram a doença por isso o Ministério da Saúde expõe a situação de alerta. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomendou as equipes de vigilância dos estados e municípios, bem como quaisquer serviços de saúde, para que fiquem alerta aos casos de pessoas com sintomatologia respiratória e que apresentem histórico de viagens aéreas de transmissão local nos últimos 14 dias.

A reunião contará com a presença de diretores de hospitais estaduais, representantes da Fundação Municipal de Saúde, conselho de secretários municipais de saúde, HUT, HGV, Hospital Natan Portela, Lacen, Maternidade Dona Evangelina Rosa, Ministério Público e Vigilância Sanitária.

A Polícia Rodoviária Federal e representantes da Infraero também estarão na reunião.

"Estamos procurando estabelecer uma força tarefa para esclarecer os critérios de definição de casos suspeitos, prováveis, confirmados e descartados, fluxo de notificação, procedimentos para diagnóstico laboratorial, orientações para os profissionais de saúde, cuidados a pacientes e contactantes e orientações a portos e aeroportos", acrescenta o secretário.

Coronavírus infectou 2 mil pessoas
O novo coronavírus, que já infectou mais de 2 mil pessoas na China e atingiu outros 12 países, é transmissível em seu período de incubação, ou seja, antes dos sintomas aparecerem. Nomeado oficialmente de 2019-nCoV, o novo coronavírus causa infecção respiratória aguda. Sintomas começam com uma febre, seguida de tosse seca e, depois de uma semana, leva a falta de ar. Ainda não há cura nem vacina.

O Ministério da Saúde está em comunicação contínua com estados e informou que casos suspeitos de outras síndromes respiratórias foram notificados a rede CIEVS e foram descartados para novo coronavírus.

About Redação