Secretário Fábio Abreu diz que quadrilha é a mesma que assaltou os bancos de Oeiras, Jaicós e campos Sales

Com 08 pessoas presas e um grande material apreendido, até o momento, o secretário estadual da Segurança Pública, capitão Fábio Abreu, detalhou na manhã desta segunda-feira (06) como ocorreu a atuação da quadrilha envolvida no assalto aos bancos da cidade de Campo Maior, na última terça-feira (30) .
Segundo o capitão Fábio Abreu, o grupo que também possuía integrantes do estado de Minas Gerais, já tinha realizado outros assaltos a bancos no Piauí nas cidades de Oeiras, Jaicós e Campo Sales . Eles costumavam roubar duas ou três agências, retornando em seguida para o estado mineiro e voltando mais uma vez para assaltar outras regiões.
“A última foi em Cocal, da mesma forma, dois ou três bancos, então eles estavam com o mesmo projeto, vieram fazer Campo Maior, estavam escondidos entre Batalha e Piracuruca iam retornar para esse esconderijo e fazer Esperantina, Batalha ou Piracuruca, só que eles não imaginavam que a gente estava ali nas imediações, achavam que a gente já tinha ido embora”, explica o capitão. 
Ainda de acordo com o secretário de Segurança Pública, após um primeiro confronto no município de Piracuruca a quadrilha se dividiu entre as cidades de Cocal e divisa entre Barras e Batalha. 
“Com essa ação de confronto em Piracuruca, eles se dividiram em dois grupos, foi o grande problema deles porque o segundo grupo que retornou para Cocal só tinha mineiros e eles começaram a se desorientar por ali, acabou o combustível deles e foi pior porque ficaram a pé. Os de Batalha, com o cerco fechado entraram em uma via vicinal e o carro atolou, perderam o apoio logístico principal. Então eles perderam três carros e ficaram a pé em dois grupos, a partir daí o de Barras e Batalha foi pior [para localizar] porque tinha piauienses então eles sabiam mais ou menos [o caminho]”, relata Fábio Abreu. 
A quadrilha que contava com 10 indivíduos dividiu o dinheiro roubado em quantidades de R$10 mil para alguns integrantes, porém, a Secretária de Segurança Pública estima que o valor total roubado pelos bandidos seja em torno de R$500 mil. 
“Como eles queriam mais dinheiro, eles pegaram dez mil para cada um, colocaram no bolso e o principal eles colocaram em um carro branco, quando se dividiram eles ficaram cada um com dez mil, tanto que todos aqueles que a gente prendeu só tinham dez mil reais no bolso, e agora a gente está contabilizando a primeira baixa deles em Barras que é onde vai ter a maior quantidade de recursos porque eles estavam com mochilas exatamente pelo dinheiro ter ficado lá. Com a prisão dos próximos dois, a gente vai contabilizar todo o dinheiro que seria em torno de R$ 500 mil”, ressalta o secretário de Segurança Pública 
Além das oitos mortes dos indivíduos que participaram diretamente da ação, a polícia prendeu cinco pessoas que estariam ajudando na fuga desses bandidos, mas que não estavam no assalto aos bancos. Ainda de acordo com o capitão Fábio Abreu, equipes continuam na região para realizar as últimas prisões da quadrilha e apreender mais armas, munições, coletes e materiais utilizados pelo grupo.
Confira o nome dos indivíduos mortos durante confronto com a polícia: 
Antônio Paulo de França, vulgo Paulo Madruga (Teresina/PI)
 Weverson de Oliveira Marçal(Uberlândia/MG)
Anderson de Freitas Brazão (Uberlândia/MG)
 
Jean Gustavo Silva (Uberlândia/MG)
 
Tiago Luiz Alves (Uberlândia/MG)
 
Maicon Humberto de Sousa Nascimento (Uberlândia/MG)
 
Igor da Silva Lima (Uberlândia/MG)
 
Lucas Oliveira de Brito