Suspeito preso por homicídio diz que vítima encomendou assassinato da ex-companheira


Suspeito afirmou em depoimento à Polícia Civil que matou a vítima após tomar a arma de fogo de suas mãos em luta corporal. Edinaldo Carvalho Soares foi morto com um tiro na cabeça.

Um homem foi preso suspeito de matar Edinaldo Carvalho Soares com um tiro na cabeça, em uma estrada vicinal no interior do Piauí há 46 dias. Em depoimento à Polícia Civil após a prisão, o suspeito, identificado como Francenildo Luiz dos Santos, confessou o crime e contou que teria tomado a arma de fogo das mãos da vítima durante luta corporal. O suspeito foi encaminhado para a penitenciária de São Raimundo Nonato.

O crime aconteceu no dia 22 de fevereiro. O corpo de Edinaldo Carvalho Soares foi encontrado ao lado de seu carro, com a arma de fogo usada no crime no local, em uma estrada vicinal entre as cidades de Manoel Emídio e Colônia do Gurgueia.

O delegado Yan Brayner, da Delegacia de Canto do Buriti, explicou que à princípio um homem que se relacionava com uma ex-companheira de Edinaldo foi apontado como suspeito, por conta de uma suposta rivalidade entre os dois. “Nós chamamos ele, e ele foi ouvido e liberado logo em seguida por que não havia nenhum indício de que ele teria participado”, disse o delegado.

A investigação focou então em um homem que havia sido visto por uma testemunha no carro com a vítima no dia do crime. O suspeito, identificado como Francenildo Luiz dos Santos, foi preso em uma operação conjunta das polícias Civil e Militar nesta segunda-feira (8), e confessou o crime em depoimento à Polícia.

Vítima teria encomendado feminicídio

De acordo com o delegado Yan, o suspeito preso afirmou em depoimento que a vítima, Edinaldo Carvalho, havia mandado que ele matasse sua ex-companheira, por que ela estaria se relacionando com outro homem. Edinaldo teria entregado uma arma de fogo para o suspeito, para que cometesse o crime.

Entretanto, dias depois o Francenildo perdeu a arma de fogo que havia recebido. “Ele disse que estava em uma situação em que seria abordado pela Polícia Militar, e por isso jogou a arma fora, para não ser preso por porte ilegal. Depois, quando voltou para procurar, não a encontrou mais”, contou o delegado Yan Brayner.

A partir de então, Edinaldo passou a cobrar a arma de fogo de Francenildo. “Ele disse no depoimento que não queria matar a mulher, mas que tinha medo de Edinaldo”, comentou o delegado.

No dia do crime, a vítima levou o suspeito em seu carro até a estrada vicinal entre Manoel Emídio e Colônia do Gurgueia para cobrar a arma de fogo perdida mais uma vez. Quando estavam sozinhos, os dois discutiram e entraram em luta corporal. O suspeito então conseguiu tirar a outra arma que a vítima tinha, efetuou o disparo e fugiu do local correndo.

“O local é muito ermo, e por isso ele achava que ninguém tinha visto, e voltou para a cidade. Mas não contava com essa testemunha, que viu ele no carro com a vítima no dia do crime”, explicou o delegado.

Ainda segundo o delegado Yan, o suspeito não tinha passagens pela Polícia. “Só algumas confusões, brigas, mas nada formalizado, nunca havia sido preso”. Francenildo dos Santos foi encaminhado para a penitenciária de São Raimundo Nonato.

About Geciano Vieira